Os adereços cênicos de BÚ! fizeram a alegria da criançada do 4º ano da Escola Santa Maria Goretti, de Petrópolis (RJ). A professora Tania M. C. Lopes enviou imagens dos alunos usando os materiais em sala de aula, e todos parecem ter se divertido bastante!

bu na sala de aula5

 

A turma também está fazendo os contos de medos e coragens que fazem parte da última atividade de BÚ! Pelos trechos que chegaram pra gente, os textos vão ficar bem bons:

Autoras: Júlia e Isabella
(Ainda sem título)

“Era uma vez uma casa velha. Seus donos se mudaram porque ela estava caindo aos pedaços. Doze fantasmas pegaram a casa para morar. Um dia a família teve que voltar a viver ali, mas tiveram muitos problemas com os fantasmas. Eles se assustaram muito, pois, os fantasmas faziam muitos barulhos à noite, chamavam pelos seus nomes e faziam:
– Búuuuu! Búuuuu! Búuuuuuu!
Eles não suportaram mais e foram embora para outra cidade.
Os fantasmas dominaram aquele lugar por muitos anos, mas apesar da vida boa, eles sentiam falta de assombrar pessoas.
O caçula dos fantasmas saiu à procura de pessoas para assustar e no meio do caminho ele trombou com o Vilão do Cemitério, o monstro mais temido do cemitério da cidade. Ele era grande, usava uma capa vermelha e tinha dentes afiados como faca. Ele ficou tão bravo que ficou roxo de raiva!
– Tá maluco! Não tá me vendo aqui não? […]”

bu na sala de aula1

Autores: Rafael e Rian
(Ainda sem título)

“Era uma vez dois jovens os nomes deles eram Victor e Pedro.
Eles tinham uma empresa de motores. Mas eles foram a falência porque o negocio não deu muito certo. Eles tiveram que
mudar para uma casa menor na mesma rua . Eles pensavam que a casa era abandonada. […]

Em outro dia o vampiro chegou de novo com outro corpo. Só que era a noite de folga do Victor e do Pedro. Eles viram alguém estranho entrando na casa e decidiram segui-lo. O vampiro estava no porão onde ele colocava todos os corpos e onde estava sua cama que era um caixão. Ele chupava o sangue e matava as pessoas. Vitor e Pedro desceram a escada e viram muitos corpos pendurados.

Eles ouviram um barulho muito alto. Era o vampiro, ele sentia o cheiro deles. Victor e Pedro se esconderam e o vampiro falou:

– Podem aparecer! Eu vou achar vocês! Sinto cheiro de sangue fresco!”