A professora Maria Isabel Meira Mota, do 5° ano da Escola Santa Maria Goretti, de Petrópolis (RJ), enviou um relato superinteressante aqui para o blog. Ela nos contou que as crianças estão bastante empolgadas com as atividades de BÚ! e querem logo começar a escrever as histórias!

“Eles produziram o manual de medos, o guia turístico e as poções e feitiços… Algumas discussões estão sendo levantadas durante as histórias lidas, como os locais por onde se passam as histórias, que nem sempre são lugares tenebrosos, são lugares comuns… Um exercício que realizei oralmente com eles foi como transformar um local qualquer (sala de aula, por exemplo) em um local onde poderia ter se passado alguma daquelas histórias.”

contos-de-enganar-a-morte

Maria Isabel também contou outra coisa muito legal: ela usou em sala o livro Contos de Enganar a Morte, de Ricardo Azevedo, para complementar a proposta de BÚ! (o livro reúne narrativas populares antigas que têm em comum a ideia do herói que tenta vencer a morte). A gente gostou tanto da iniciativa da professora que trouxe uma lista de outros livros que podem ser usados para ampliar as atividades dos materiais didáticos do projeto. Clique nas imagens dos livros para ter maiores informações sobre cada um deles:

horror-humor-quadrinhos

Horror, humor & quadrinhos – As vítimas do mico contra o trio do terror, Heloisa Prieto: Os heróis desenhados por Martim, um criativo garoto de 9 anos, existem mesmo ou são fruto da sua imaginação? A verdade é que eles tomam suas dores quando o veem em apuros, humilhado pelo trio de colegas mais populares da escola: Lara, Biel e Gusmão. Eles vivem atrás de vítimas para perseguir e, dessa vez, resolvem pegar no pé de Martim. Injustamente, ele é ameaçado de ser expulso do colégio. Martim resolve arregaçar as mangas e pôr um fim na tirania dos colegas usando a arma mais poderosa que existe: a criatividade.

UUm tanto perdida, Chris Haughton: Um livro sobre o medo de se separar dos pais. A Corujinha dorme tão pesado que acaba caindo do ninho e se perdendo na floresta. O Esquilo logo se oferece para ajudá-la mas, apesar de prestativo e bem intencionado, ele é bem atrapalhado. E a Corujinha vai precisar descrever direitinho como é sua mamãe até ele conseguir encontrá-la.

os pesadelos de lisaOs pesadelos de Lisa, Anne Gutman: “Lobos gigantes não existem de verdade”, é o que Lisa fica pensando depois de assistir a um filme sobre um lobo que ataca crianças. Mas o animal a persegue em sonho, fazendo-a acordar com calafrios. Gaspar oferece ajuda, seu pai traça um plano, mas nada adianta. No zoológico, contudo, ela vê um lobo de verdade e até dá um nome para ele.

gaspar e lisa no museu

Gaspar e Lisa no museu, Anne Gutman: Os cachorrinhos visitam, numa excursão escolar, um museu de ciências naturais. Ninguém reparou quando Gaspar e Lisa fingiram que eram animais empalhados da exposição, mesmo ele tendo se esquecido de tirar o cachecol. Mas eles também não viram quando todos foram embora, apagaram as luzes e os deixaram sozinhos com esqueletos de dinossauros assustadores…

cidade dos deitadosCidade dos deitados, Heloisa Prieto: Não é preciso ser gótico para se divertir com esta história do além. Meia-noite, sexta-feira 13, o pneu do carro fura em frente ao cemitério. É só o começo da aventura narrada por uma garota. Heloisa Prieto conduz o leitor por esta cidade – habitada por seres aparentemente deste, mas, na verdade, de outro mundo. As ilustrações de Elisabeth Tognato carregam referências do mundo gótico, punk e rock’n’roll para retratar os vultos fantasmagóricos.

barataBarata!, Reinaldo Moraes: Barata pra todo lado. Você tem medo? Então nem abra este livro. Senão uma pode escapar e entrar na sua vida e virar seu bichinho de estimação preferido e ser raptada pelo seu irmão e ir parar no ciberespaço e enfrentar perigos virtuais dos mais perigosos e deixar você louco de aflição pra tirar ela de lá e acabar fazendo você mesmo cair no ciberespaço e enfrentar perigos horrorosos pra tirar a pobre baratinha de lá e conseguir, mas ela pode estar mais pra lá do que pra cá e pode ser que você tenha de levá-la ao médico – opa! médico de barata? – e que ela fique curada e que a sua mãe descubra tudo e que depois de tudo por que você teve de passar a danada da barata não queira mais viver com você. Pode ser pior?

historias de misterioHistórias de mistério, Lygia Fagundes Telles: Nos seis contos reunidos em Histórias de mistério, os personagens parecem presos a papéis trágicos: presos ao destino em cuja direção os fatos avançam inexoravelmente. Só que a força que os empurra não vem de fora, não decorre da decisão arbitrária de uma divindade todo-poderosa. Ela nasce de acontecimentos que vitimaram os próprios protagonistas: basicamente, de situações de perda. Perda de pessoas amadas, perda da segurança da família, perda de um sonho querido.

histórias de fantasmasHistórias de fantasmas, Michael Cox: É isso que torna a leitura ou a narração das histórias de fantasmas tão divertida: você fica o tempo todo pensando que aquilo bem que poderia ter acontecido – especialmente quando as páginas do seu livro começarem a virar sozinhas… É também por isso que os autores de grandes histórias de fantasmas se divertem tanto ao criá-las: provavelmente gostam de sentir eles mesmos pavor da incerteza. Neste livro, há dez das melhores histórias de abantesmas e espectros, algumas engraçadas, outras tristes e muitas realmente assustadoras, como “O escritor-fantasma”, de Arthur Conan Doyle, e “O Horla”, de Guy de Maupassant. Entre cada narrativa, seções de fatos interessantes explicam, por exemplo, por que algumas pessoas acabam virando fantasmas e outras não; dão dicas de como caçar fantasmas; mostram a diferença entre gremlins e espíritos malignos; e apresentam detalhes sobre as fantasmagóricas reuniões conhecidas como sessões espíritas. Ao final, aqueles que se sentirem aterrorizantemente criativos são convidados a escrever a sua própria história de fantasmas.